#INDICALIVROS – 3ª ed.: Livros vencedores do Prêmio Nacional SESC de Literatura

Compre este livro na Saraiva por R$ 22,30

Autora: Luisa Geisler
Editora: Record
Histórico: Vencedora do Prêmio Nacional SESC de Literatura 2011 na categoria Romance.

Sinopse: Arthur aparece na casa de Clarissa como um parente do interior, quase desconhecido. Jovem problemático, tentou suicidar-se, foi internado e, agora, irá passar um ano letivo com seus tios e com a prima de 11 anos. O primo desajustado vai mostrando, no seu tom monocórdio, uma crescente humanidade em relação à Clarissa. Compartem da mesma solidão, num medo, talvez, de perder-se, de diluir-se, sem que ninguém os veja.
Compre na Saraiva por R$ 27,90
Autora: Luisa Geisler
Editora: Record
Histórico: Vencedora do Prêmio Nacional SESC de Literatura 2010 na categoria Livros de Contos.
Resenha: Em Contos de Mentira, a autora usa uma linguagem ágil, cortada com economia e precisão, para colocar em exposição os sentimentos humanos. São pequenas e densas histórias, que retratam o ser humano sozinho, acompanhado apenas de sua incompletude.

Compre na Saraiva por R$ 22, 30
Autor: Rafael Gallo
Editora: Record
Histórico: Vencedor do Prêmio Nacional SESC de Literatura 2011 na categoria Livros de Contos.
Resenha: Um senhor idoso, recém-viúvo, está em uma festa de ano-novo com seu filho surdo e mudo, que deixará o país na manhã seguinte. Prestes a perder o papel de pai, um dos últimos que lhe resta, o velho mergulha em uma profunda reflexão, buscando encontrar algum sentido na vida e na morte. Este é o ponto de partida de “Réveillon” e da jornada do leitor através das mais diversas experiências humanas, nas quais as relações do homem com seus semelhantes e seu ambiente são percebidas sob um olhar crítico e desmistificador.
De um acontecimento corriqueiro, como a disputa por uma poltrona no ônibus (“O lugar de cada um”) aos momentos mais dramáticos, como o primeiro momento a sós de um casal após a moça ter sofrido um estupro (“Violentada”), o autor nos entrega um testemunho vivo de como as interações humanas podem funcionar de maneiras complexas e distintas das que aparentam na superfície.
A linguagem literária é outro ponto forte do livro. Exemplos notáveis são “Balas”, narrado em primeira pessoa por um ex-presidiário, que com seu linguajar marginal e seu poder de análise nos remete a uma transposição do homem simples filósofo, de Guimarães Rosa, ao meio urbano moderno. Outro conto a ser destacado é “Espiral”, em que o amor patológico entre uma mãe e seu filho é narrado conforme o título, em movimentos circulares que se aproximam vertiginosamente de um centro de grande concentração dramática.
O livro se encerra com “A lâmpada que nunca queima”, a história de um jovem que inventa o tal objeto, mas vê seus planos ruírem frente aos interesses do mercado. O leitor terminará sua jornada não com um triste niilismo, mas sim com a perspectiva de que novos caminhos sempre podem ser traçados na busca por uma existência mais plena, da qual faz parte o amor.

Sobre a Autora

Rate this post
Compartilhe este post