A METÁFORA – FIGURA DE LINGUAGEM UTILIZADA NA LETRA DE GILBERTO GIL

Hoje
falarei sobre a Metáfora, que por sinal, é uma das minhas figuras de linguagem
preferidas. É isso mesmo, enquanto pessoas tem músicas, filmes, cores, lugares
preferidos, eu tenho coleção de figuras de linguagem preferidas. Isso porque
espetacular o poder que as palavras possuem, tanto as que nós falamos, como as
que escrevemos, e mesmo que a maioria das pessoas não entenda o contexto em que
as palavras estão empregadas, elas (as palavras) estão ali, vivas, esperando
para serem interpretadas. Bom, esta é a minha visão, óbvio que cada um terá a
sua, o que julgo muito importante também, logo que uma troca de ideias,
opiniões é essencial à comunicação e ao entendimento humano.
Mas voltando as Metáforas, trouxe aqui uma música
interpretada por Gilberto Gil que vem cheio de trechos implícitos, porém não
tão implícitos assim, sem querer ser redundante, mas já sendo.. esse mundo das
figuras de linguagem é incrível!! A metáfora como sabemos,  vem de um efeito expressivo. Consiste em transportar para uma coisa o nome de outra. Por isso, na letra dessa música, conseguimos a perspectiva que Gilberto tenta nos passar acerca do que dizemos e que pode abranger inúmeros outros contextos. Ouça e Leia!

Uma lata existe para conter algo
Mas quando o poeta diz: LATA
Pode estar querendo dizer o incontível
Uma META existe para ser um alvo
Mas quando o poeta diz: META
Pode estar querendo dizer o inatingível.
Por isso não se meta a exigir do
poeta
Que determine o conteúdo em sua lata
Na lata do poeta TUDO/NADA cabe
Porque o poeta sabe fazer
Com que na lata venha a caber o incabível.
Deixe a lata do
poeta. Não discuta
Deixe a sua meta fora da disputa
META dentro e fora
LATA absoluta
Deixe-a simplesmente: METÁFORA.

Sobre a Autora

lmd_source=”26304750″;
lmd_si=”33718905″;
lmd_pu=”22628236″;
lmd_c=”BR”;
lmd_wi=”468″;
lmd_he=”60″;

Rate this post
Compartilhe este post