As origens da Literatura Popular

Banda de Pífanos – Gravura de Marcelo Soares
    Muito se acredita que as ações humanas tinham princípios registrados em cavernas antigas, ou nos hieróglifos dos antigos egípcios. Esse fato não deixa de ter seu lado verídico. No entanto, a literatura popular aparece no Ocidente em duas etapas:
    A primeira é a partir do século XII, com manifestação leiga independente do sistema de comunicação eclesiástico. Sendo assim, sua característica sobretudo era sua linguagem mais regional, e não em latim,  que naquela época era a língua oficial de toda a Europa cristã. Aos poucos, porém, começou-se a ser contadas histórias pelo povo, no qual eles iam sendo contados em versos, tudo de forma primitiva. Isso é, não havia outro jeito, pois toda a comunicação anterior oficial era realizada em latim e naturalmente, tratava de assuntos religiosos e eruditos. Isso porque naquele tempo as pessoas não podiam sair de seus feudos, seus lugares de origem. Havia somente duas ocasiões em que isso era possível: em época de guerra ou em peregrinação.
    Havia na Europa medieval três pontos de peregrinação famosos: Roma – a Santa Fé -, Jerusalém – a Terra Santa – e Santiago de Compostela, que ficava ao Norte da Espanha, a Galícia. Houve então, por consequência dessas manifestações populares, três focos de convergência humana. Um era o Sul da França, a Provence, onde se reuniam as pessoas antes de atravessar o mar Mediterrâneo, para chegar à Palestina, geralmente em mãos árabes. Outro era o Norte da Itália, a Lombardia, por onde se tinha de passar para chegar a Roma. E o terceiro era a Galícia, o único lugar da península ibérica não tomado pelos sarracenos e onde ficava o santuário de Santiago.
    É exatamente nesses três lugares onde começa a literatura popular, onde havia uma concentração de poetas nômades (entre as raras pessoas que tinham locomoção livres) e que funcionavam como verdadeiros jornalistas, contando as novidades e cantando poemas de aventuras e bravezas.
    Com isso, é possível notar que a literatura popular medieval se fez devido a oposição à literatura oficial da Igreja Católica. E ao passar dos anos ela foi se fortalecendo e começou a dar lugar a focos de línguas oficiais como o italiano, o francês provençal e o português-galaico. Alias, até hoje há uma certa indecisão sobre qual foi a primeira língua nacional da península ibérica – se o português ou o espanhol. Logo que, ambos se originam do galaico – que existe até hoje -, como dialeto, tanto em Portugal como na Espanha. Mais tarde, surgem outras línguas nacionais, ao longos dos grandes rios europeus como o Reno e o Danúbio e, posteriormente, ao Norte da Europa e na Inglaterra.
   Mas o importante, é que esses núcleos se tornaram fontes de produção de cultura regional, e foi transportada para o resto da Europa, por intermédio dos menestréis,  trovadores e jograis, que são três categorias de poetas andarilho.

Sobre a Autora

Gostou? Ajude a compartilhar:




var addthis_config = {“data_track_addressbar”:true};

Rate this post
Compartilhe este post