[RESENHA] O Gado do Valha-me Deus (Contos Amazônicos – Inglês de Sousa)

Mais
uma vez, reitero que na obra “Contos Amazônicos” encontram-se relatos, que são
contados como causos, e que durante as narrativas elas vão sendo elaboradas de
forma quase que compartilhada, como uma memória que incorpora lendas, mitos, e
a mescla de fatos históricos que se complementam com as descrições ricas dos personagens,
cenários abrangendo o estado físico (concreto), a forte ligação com a crença e
é claro, o social de uma região.

O
gado do Valha-me Deus
” é o sexto conto da obra, e nele vemos uma série de incidências
misteriosas que denotam o modo de vida e o imaginário do povo amazonense.
De
início é possível perceber que o conto é baseado num causo aonde o personagem
principal é Domingos Espalha. No caso, o narrador, onisciente conta-nos como
soube dessa estória pelo próprio Domingos. Tudo se passa em Óbidos, na vila de
Faro. O narrador apresenta do que se trata o causo, os personagens, o cenário,
o mistério ocorrido, e principalmente, o respeito pela crença nos relatos.
Tudo
deu início após a morte do Padre Geraldo, que mantinha forte ligação com as
cabeças de gado de sua fazenda – Paraíso. Com pesar, a herança foi para Amaro
Pais, um moço que com sacrilégio judiava dos gados, e ao passar do tempo,
chamou o vaqueiro Domingos Espalha, para que fosse a procura do gado que havia
fugido.
O
enredo gira em torno do caminho percorrido por Espalha e seu companheiro, Chico
Pitanga, para localizar o rebanho. Em meio a isso, inúmeros acontecimentos irão
ocorrer e colocaram em crise a crença dos dois vaqueiros, como por exemplo: a
morte da vaca que os dois mataram, e viram sair dela ao invés de sangue, espuma branca de algodão. Assim, posteriormente,
tomaram a vaca preta como a mãe do
rebanho
, por isso, passaram por momentos em que ouviram o mugido sofrido
durante a noite dos bois que iam adiante, os quais não conseguiam avistar, mas
continuavam perseguindo as pegadas que encontravam na estrada.
Quando
enfim encontraram o rebanho, estavam há muitos dias sem alimentar-se, e com
sintomas de variações emocionais. No entanto, subiram a serra do Valha-me Deus
( lugar onde ninguém havia subido), aonde num quase ritual, viram os bois
percorrerem caminho estreito e sitiarem-se ali mesmo. Domingos Espalha então
termina seu causo, afirmando que nunca teve gado que lhe desse mais trabalho
que esse rebanho do padre Geraldo.
O
conto destrincha-se nesse busca do rebanho, e ao longo dele, é perceptível o
vocabulário da região, e a forma da narrativa, quase cômica em alguns momentos,
o discurso do narrador de forma coloquial, denotando pensamentos pueris durante
as ações que efetua. Digo que dentre as que resenhas dos contos anteriores,
este foi o que mais apresentou relatos bem espontâneos e com aspectos típicos
de conversa informal, que na verdade, é o que percebemos logo de início. É uma
lembrança contada por um vaqueiro já em fase idosa. Foi o mais divertido dentre
os contos do Inglês de Sousa que resenhei, não apenas pelo vocabulário, mas
também pela ingenuidade que os personagens expressam, ao colocar uma entonação
cômica durante suas as falas e comportamento.
Dessa
vez demorei um pouco para concluir a resenha do sexto conto, mas foi por conta do pouco tempo que tive. Em meio à viagens intermunicipais, disciplinas,
monografia e aulas para ministrar no programa que faço parte, restaram
pouquíssimas horas para escrever a resenha e deixá-la como gostaria. Enfim,
prometo tentar não demorar a postar o próximo conto do livro que é: O BAILE DO
JUDEU
.
A
quem está acompanhando, agradeço. E compartilhem aí para ajudar na divulgação!

Ah,
não poderia esquecer, fiz um mini e-book com o conto e estou disponibilizando
na minha página do SlideShare. Coloco aqui embaixo para quem quiser ler
primeiro o conto e depois a resenha, ou até mesmo, o contrário. Friso que
leituras de resenhas e resumos nunca apresentam a mesma emoção ou carga de
conhecimento que ler a obra em si. Por isso, de agora em diante, estarei colocando os
arquivos para que vocês possam lê-los e fazer o download também. (Eu ia fazer
isso depois de concluir todas as resenhas do livro, mas como está demorando
MUITO mais que o esperado, os ocntos estarão separados lá na minha página). Aproveitem e Divirtam-se!
Leia as outras resenhas dos
contos aqui:

4. Acauã

Sobre a Autora

Rate this post
Compartilhe este post