O tempo: dá Saudade

Arte: Fabyely Kams

Como
está sendo o final de semana? Corrido! Apesar dos pesares, do turbilhão de
atividades, está igual aos dias em que a gente espera que aconteça os mais
diversos absurdos que nos livre das situações do dia a dia. Sabe quando tudo
vira de cabeça para baixo e de repente você está a mil. Inúmeras ideias na
cabeça a cada minuto – a cada minuto uma nova – e aí quando se dá conta, o
tempo está muito curto? Engraçado. Chega a ser cômico essa situação, porque
imagina: Todo mundo quer um tempo reservado, ou às vezes o tempo não cabe no
período que precisamos dele. E então eu penso se é o tempo que precisa de nós,
ou se somos nós que precisamos dele. Inconscientemente sabemos que precisamos
de muita coisa, principalmente de tempo… Mas o que seria do tempo sem essa
função de passar a humanidade que tudo que consiste o sistema solar são esses
preciosos momentos? Tem aqueles que aproveitam e aqueles que ficam dispersos.
Àqueles que não se rendem ao momento, e uns que se agarram com todas as forças
para não deixá-lo ir. Que ciclo! O cotidiano nos infere a uma rotina, a rotina
nos define como pessoa, e o tempo…, Ah o tempo, ele nos remete aos primórdios
de nossa existência, aonde tudo o que queríamos era liberdade para ser livre de
verdade, até o momento em que tínhamos que voltar para casa porque a mãe estava
gritando nosso nome.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});


Sobre a Autora

Rate this post
Compartilhe este post